sábado, 9 de junho de 2012

Vender exige paciência




Vender exige paciência

Os vendedores  Pedro e Marcos, encontraram-se numa lanchonete e entre tantas conversas um pergunta ao outro:

–- Pedro, você visita o Paulo do supermercado Bom Preço, na cidade de Jacutinga?

Marcos responde

–- Visito sim. Então, Pedro comenta:

–- Não sei como você consegue atende-lo; ele dá uma canseira todas as vezes que o visito, perco um tempo enorme. Além do mais, só reclama do preço, nunca está bom, sempre meu preço está mais caro que o do outro.

Depois de uns segundos Marcos fala:

–- Verdade, ele demora a atender nós vendedores, passa por nós e nem cumprimenta e só reclama do preço. Mas, pelo que você está dizendo, não é somente com você que ele age assim, faz isto com todos os vendedores. Então, é o jeito dele e não vai mudar.

Novamente Pedro diz:

–- Estou quase deixando de atende-lo, pois, todas às vezes ao sair de lá, saio estressado. Ainda o visito, porque é um cliente que compra bem e minha empresa exige relatórios de visitas e como  é um cliente que tem um poder bom de compra tenho que atende-lo 

 Após ouvir Pedro atentamente, Marcos volta a falar:

–- Você tem razão, ele é um cliente que compra bem, embora, seja difícil. Mas, pensando bem! esta é nossa profissão, qual profissão que não tem seus espinhos? Não tem suas dificuldade? Cada cliente, tem seu jeito de ser e nós como vendedores precisamos adaptar-nos a eles, afinal de contas, nós precisamos vender e mesmo às vezes, ficando bastante tempo, ou ouvindo seus lamentos e reclamações no final, saímos de lá com uma boa comissão no bolso. Lembra-se amigo, é o cliente que faz nosso salário. E continuou. Em nossa profissão sempre encontramos dificuldades, porém, temos que encara-las como desafios, pois, se vender fosse simples, todos queriam ser vendedores. Da mesma maneira que encontramos clientes que às vezes, nos exige mais paciência, encontramos aqueles que nos exige mais habilidade, mas também há aqueles que são completamente opostos.

Finalizando Pedro, respondeu:

–- Neste ponto, você tem total razão Marcos, ele demora, é chato, mas no final, saímos de lá com um bom pedido e como você bem colocou, estas são as adversidades da profissão.

Logo após os dois amigos se despediram cada foi visitar um novo cliente.


Ataíde Lemos

Obs. Este Conto os nomes e estabelecimento comercial são fictícios, qualquer semelhança é mera coincidência